Náutico Sustentável 30 | Bruno Becker - Ivan Pinto da Rocha

#

Com a missão de resgatar o prestígio do grande Clube que sempre foi, a chapa Náutico Sustentável 30 é a melhor alternativa para que o nosso Timbu reencontre o caminho das grandes conquistas e resgate sua essência de clube campeão.

A Chapa Náutico Sustentável 30 busca esse caminho da ética, da eficiência, de uma verdadeira reestruturação de nosso Clube, para obtermos vitórias dentro e fora do campo.

Para a montagem de um time competitivo é necessário a captação de recursos, convênios e diversas outras formas de captação de recursos, como emendas parlamentares, recursos da Lei de Incentivo Estadual ao Esporte e da Lei Federal de Incentivo ao Esporte. Para isso, é preciso trabalho sério, técnico e com foco em resultados, sempre buscando manter a saúde financeira do Clube firme e estruturada.

A captação de recursos é importante para a aquisição de materiais de consumo esportivo e equipamentos para futebol de base, para a ampliação e reforma da estrutura física para base e para projetos que possibilitem o financiamento de recursos humanos (RH) e os projetos sociais (escolas de esportes).

Juntos, com o vermelho e branco do nosso pavilhão, vamos recolocar o Náutico em seu patamar de protagonista nas competições em que participar e reacender a confiança da torcida! Vote 30, Náutico Sustentável!

VÍDEOS

Bruno Becker candidato a presidente do Náutico

Ivan Pinto da Rocha candidato a vice-presidente do Náutico

PLANO PARA A GESTÃO 2022-2023

  • 01

    POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE FISCAL PARA O SANEAMENTO FINANCEIRO DO CLUBE NÁUTICO CAPIBARIBE.

    Tal política objetiva redução significativa da dívida do Clube fundamentada na melhoria de processos e controles internos na direção de manter o equilíbrio das contas do Náutico.

  • 02

    GESTÃO BASEADA EM PROFISSIONALISMO, RESPONSABILIDADE E TRANSPARÊNCIA.

    Busca-se aperfeiçoar continuamente os processos e controles internos e criar as condições para alcançar segurança financeira e eficiência administrativa. É essencial a implantação de processos de governança corporativa.

  • 03

    INVESTIMENTOS NO MARKETING CUJOS OBJETIVOS INCLUEM AUMENTAR SUAS RECEITAS E CAPACIDADE DE INVESTIMENTO.

    Entre os temas tratados, incluem-se fortalecimento e expansão da marca do Náutico, avanço na qualificação do programa de sócios, e busca ou expansão de licenciamento de produtos e parcerias.

  • 04

    EXPANSÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO E RELACIONAMENTO COM TORCEDORES PRESENCIAL E VIRTUALMENTE

    Aperfeiçoamento de relações externas e institucionais, criando programas específicos para lidar com outras instâncias do Clube (conselho deliberativo e conselho fiscal), outras instituições sócio-esportivas e as embaixadas e consulados do Clube Náutico Capibaribe.

  • 05

    INVESTIMENTOS ESTRATÉGICOS NA QUALIFICAÇÃO DO ESTÁDIO, DAS SEDES E DO CENTRO DE TREINAMENTO.

    Desenvolvimento e qualificação do futebol profissional e de base, desenvolvimento e qualificação do de esportes olímpicos e prestação de serviços à comunidade. Esta meta compreende busca da captação de recursos específicos para ampliação dos equipamentos existentes em todo o patrimônio do CNC como maneira aumentar sua capacidade de arrecadação

  • 06

    AJUSTES NO FUTEBOL ENVOLVENDO GESTÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO, INTELIGÊNCIA PARA RECRUTAMENTO, CAPACITAÇÃO DA EQUIPE E FUNCIONAMENTO DAS CATEGORIAS DE BASE.

    O futebol deve buscar conquistas com incorporação/ampliação de recursos físicos e humanos de forma continuada. A construção de um plano diretor constitui uma ferramenta para preservar as práticas de sucesso e aperfeiçoas as demais.

  • 07

    CAPACITAÇÃO E HABILITAÇÃO DO CLUBE PARA CAPTAR RECURSOS E AMPLIAR ATUAÇÃO NOS ESPORTES OLÍMPICOS.

    Tornar estes esportes auto-sustentáveis, estão incluídos aí os esportes terrestres e aquáticos.

  • 08

    INVESTIMENTOS NA QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE FUNCIONÁRIOS DO CNC.

    Investimentos que devem viabilizar melhoria de eficácia e eficiência nos processos e tarefas do Clube. Também devem avançar no sentido de aperfeiçoar a interação com o associado em termos de atendimento e comunicação.

  • 09

    PRÁTICAS DE CIDADANIA COMPATÍVEIS COM A LEGISLAÇÃO.

    Repudia-se discriminação de qualquer ordem, nepotismo, privilégios, falta de educação ou qualquer outro fator anticivilizatório.

  • 10

    INVESTIMENTO EM TRANSFORMAÇÃO DIGITAL PARA MELHORAR AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS E PROCESSOS NA OPERAÇÃO DO CLUBE.

    Incorporação de equipamentos de tecnologia de ponta e processos informatizados em áreas de apoio concernentes a saúde, a prestação de serviços e a transações financeiras também estão incluídas nesta meta.

  • 11

    REORGANIZAÇÃO DO SETOR JURÍDICO.

    Objetiva-se aprimorar a gestão de processos, concluir ações legais mais rapidamente e determinar estratégias jurídicas de modo a prevenir futuras perdas do Clube Náutico.

  • 12

    CAPTAÇÃO DE RECURSOS PARA PROJETOS ESPECÍFICOS.

    Ênfase nos projetos que envolvam conservação do patrimônio histórico do Clube Náutico Capibaribe.

Bruno Becker - Presidente

MAIS PROPOSTAS

" A proposta do Náutico sustentável é de ser uma alternativa sustentável. Não somos uma chapa de oposição. Nós somos a alternativa para aqueles querem melhorar o que de certo aconteceu, trazer uma filosofia nova para o Clube Náutico Capibaribe, agregado a isso, transparência e experiência "

CAPTAÇÃO DE RECURSOS PARA O CLUBE NÁUTICO CAPIBARIBE

Nessa perspectiva, os melhores caminhos para captação são:
- Convênio e fomento via Emenda Parlamentar de Deputados Estaduais e Federais e Senadores;
- Lei de Incentivo Estadual ao Esporte;
- Lei Federal de Incentivo ao Esporte.

LEI DE INCENTIVO ESTADUAL DO ESPORTE

O Estado de Pernambuco possui sua lei própria de recursos de até R$ 1.500.000.00 (um milhão e quinhentos mil), que podem ser destinados para projetos de cunho esportivo social ou de rendimento e também para projetos de obra.

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DE RECURSOS PÚBLICOS

Algumas melhorias na estrutura do clube e principalmente investimentos na base podem ser regularizados com esses recursos, por exemplo:
- Aquisição de materiais de consumo esportivo e equipamentos para football de base;
- Construção de estrutura física para base;
- Projetos que possibilitem o financiamento de recursos humanos (RH);
- Projetos Sociais (escolas de esportes).

PASSIVO TRABALHISTA:

  • E qual é a solução? Por meio da Lei 14.193/2021, que institui a Sociedade Anônima do Futebol e dispõe sobre as normas de constituição, governança, controle e transparência. Foi através dela, aliás, que criou-se a figura do Regime de Centralização de Execuções (RCE).
  • Qual o cenário atual? É um dos nossos maiores e mais urgentes desafios, porque o passivo trabalhista atual atinge a casa dos R$ 50.000.000,00 (cinquenta milhões de reais).
  • Como acontece na prática? Pelo Regime de Centralização de Execuções (RCE), o clube terá o prazo de até 60 dias para apresentação do seu plano de credores. Uma vez aprovado, o clube deverá destinar 20% de suas receitas para pagamentos de dívidas.
  • O pagamento é feito a quatro mãos. Clube e credores, juntos, construirão a saída para o pagamento da dívida e levarão em conta a série em que o clube estará. E a Lei permite ainda ao credor de dívida trabalhista, ceder seu crédito a terceiro, o que fomenta e facilita negociações. O valor da dívida pode ser pago em até 10 anos, de acordo com o plano de pagamento apresentado e aprovado pelos credores.
  • Em cálculo rápido, aplicando-se um deságio médio de 50%, o passivo cairia para R$ 25.000.000,00 (vinte e cinco milhões), podendo ser pago em até de 10 anos, ou seja, um valor nominal de R$208.333,33.
  • E o que falta para aderirmos ao RCE? Falta vontade de fazer acontecer. Falta pensar fora da caixa. Falta ousar com responsabilidade. Falta organização administrativa com o que a Lei exige.
  • Qual a diferença para o que acontece hoje? Nesse novo regime, a vantagem é que todas as execuções trabalhistas serão reunidas em uma mesma vara, sendo tal reunião obrigatória. E o melhor é que com o Regime de Centralização das Execuções (RCE), o clube fica livre de penhoras e bloqueios de bens e valores, assim como dos leilões da sede e da garagem do remo que preocupam a todos de forma constante.
  • Além disso, a dívida passa a ser corrigida pela Selic, taxa maior que a atualmente usada pela Justiça do Trabalho. Além do desafio que pode ser aplicado sobre os débitos através de negociação direta com os credores.
  • Mas hoje já não funciona? Não. Embora hoje exista o bloqueio de 20% da receita bruta do clube, não há um plano de pagamento com regras pré-definidas. Além disso, não é obrigatória a centralização das execuções, o que acarreta no bloqueio de outros valores e na realização de leilões.